Estatuto Editorial

O Metrónomo é uma plataforma independente que visa ser um espaço de partilha de ideias aberto, não tendo quaisquer ligações de ordem ideológica, política, económica, religiosa ou clubística. Compromete-se para com quem o acompanha em manter-se fiel aos princípios aqui enumerados, numa relação rigorosa e transparente, reconhecendo como seu único limite o espaço privado dos cidadãos.

O Metrónomo defende, acima de tudo, a liberdade de expressão e o respeito pela pluralidade de opiniões. 

O Metrónomo compromete-se, através da sua Equipa Editorial, em levar a cabo uma revisão dos conteúdos publicados de forma a garantir que os mesmos cumprem com os princípios aqui enumerados, garantindo assim a confiança de quem o acompanha. A Equipa Editorial reserva a si o direito à não publicação de conteúdos que incitem ao ódio ou à violência, ou que façam a utilização de linguagem ofensiva, racista, xenófoba, homofóbica, sexista ou qualquer outro carácter discriminatório.

Sendo uma plataforma de partilha de ideias, o Metrónomo distingue opiniões – que devem ser assinadas por quem as defende e que vinculam apenas quem as assina – de notícias – narradas de forma objetiva e independente, após uma relacionação e análise dos factos e auscultação das diversas partes. Posições que vinculem o Metrónomo serão tomadas através de editoriais não assinados.

O Metrónomo estabelece as suas opções editoriais sem hierarquias prévias, estando sujeito à disponibilidade dos meios, ao volume de conteúdo e ao estímulo dos acontecimentos e situações que, quotidianamente, são comentados. Prazos, possíveis alterações, o momento de publicação e o nível de destaque dado a cada conteúdo serão acordados entre a Equipa Editorial e o respetivo cronista, antes da publicação do mesmo e sempre sujeito à disponibilidade dos recursos no momento.

O Metrónomo considera que uma opinião pública informada, ativa e interveniente é fundamental para uma democracia saudável e para uma sociedade aberta mais dinâmica. Compromete-se assim a participar nos debates das grandes questões colocadas à sociedade – desde temas como a defesa das liberdades fundamentais e da democracia, à defesa de um mundo sustentável que não coloque em risco as gerações futuras – dando voz às várias correntes em benefício do pluralismo de opinião, na perspetiva de construção de um espaço de debate dinâmico e abrangente.